segunda-feira, 13 de abril de 2015

Amor Autêntico _Capítulo 14

Um mês depois...
- Eu te amo, Demi. – ele disse depois de um beijo. Ela não respondeu, só o beijou novamente. Não o amava, não iria dizer o mesmo.
- Então, o quer queria me dizer?
- Bom, a minha pequena faz aniversário no sábado e eu queria saber se vai comigo?
- Dougie, eu não sei... Tenho a agencia para cuidar.
- A Selly faz isso por você, só por alguns dias. Vou amanhã de manhã e volto no domingo a noite. Serão quatro dias só.
- Vou conversar com Selly  e ver o que pode ser feito. Também tenho medo de não ser bem recebida.
- Por quem?
- Não sei... Julie.
- Julie é uma graça, adorará você. Ela está doida para te conhecer e me fez prometer que te levaria comigo no aniversário dela. Pensei que se importaria mais em ter a possível chance de rever seus pais.
- Eles disseram que eu morri para eles, pois penso o mesmo. Para mim, eles morreram.
- Então...? Vamos, Demi? Por favor!
- Aí, Poynter, já disse que preciso resolver com Selly, se ela achar que pode segurar as pontas por aqui, eu vou com você, agora se ela falar que não pode, eu... fico e mando um belo presente para minha querida Julie.
- Não é o mesmo! Promete que vai fazer o possível?
- Sim, prometo.
De uma coisa Demi sabia, seu atual namorado era mais chato que uma criança mimada.
 Depois de tantas vezes que Dougie pediu Demi oportunidades para mostrar seus amor, ela acabou cedendo e, apesar de não ama-lo, estava gostando de ter a companhia dele. O amor dele a preenchia de alguma maneira, mas ela sabia que não o amava. Aliás, ela sabia a quem pertencia seu coração.
Horas depois chamou Selena em sua sala, e fez o pedido.
- Claro que fico! Olha, já era hora de você se divertir. Além disso, a Mi pode me ajudar por aqui. Aproveita para rever uns amigos antigos, Demi. Vai viajar com o namorado!
- Tem razão, eu estou mesmo precisando.

Em casa, Demi terminava de arrumar sua pequena bagagem quando sentiu um braço forte te envolver.
- Sabia que você é perfeita até quando não quer?
- Sabia que você é um cara muito bajulador, Dougie?
- Sabia que eu te amo? – Em resposta, Demi o beijou, mais uma vez, ela não podia mentir. – Amanhã o voo sai às sete, então eu pensei em dormir aqui com você aí a gente não se atrasa, o que acha?
- Que desculpa idiota! Você é meu vizinho...
- É mesmo, tinha esquecido disso...
- Mas, você pode dormir aqui sim. Eu deixo.
- Aliás, eu tenho dormido aqui quase todos os dias, não é mesmo?
- Verdade... Já que você já decidiu que vai dormir aqui com a minha autorização, eu vou tomar um banho enquanto você pede uma coisa bem, mas bem gostosa mesmo, para a gente jantar.- Demi deu um selinho no namorado e foi para o banheiro tomar seu banho, o que restou a ele fazer foi ligar para o restaurante mais próximo.
Na verdade, ela queria mudar o ruma da conversa. Sabia muito bem o que ele queria e não era o que ela queria. Ele ia pedir para passarem a morar juntos, mas Demi gostava, às vezes, de ter seu próprio espaço. Quando quisesse dormir sozinha não precisaria pedir para ele dormir no quarto de hospedes. Não queria uma vida de casada, isso ela não queria mais, pois lembrava de seu casamento fracassado. Por isso, nunca chamou Ster para morar com ela, mesmo quando achava que o amava.

Ocorreu tudo bem durante a viajem para Demi e Dougie. Quando chegaram, ele já havia feito uma reserva no hotel da cidade e avisado sua família que eles estavam de volta.
Aquela cidade fazia Demi lembrar de muita coisa, foi lá que Demi fez amigos fortes como Selly, Ster e Mi; foi lá que encontrou e se apaixonou por Joe; foi lá que se casaram antes de fugirem com o dinheiro dos pais de Demi. O mesmo dinheiro que ela pode construir sua pequena agencia que se tornou essa grande agencia que é hoje e que já devolvera aos pais há anos, antes mesmo de construir a advocacia de Joe.
Dougie havia ocultado alguns fatos daquela cidade, fatos que Demi pode se surpreender e talvez amolecer.
- Não vejo a hora de reconhecer a minha cidade. – ela disse quando entraram no carro.
- Pensei que não ia querer sair do quarto, depois de tudo que houve...
- Do que está falando?
- Ah, foi aqui que começou tudo. Eu nem ia querer entrar na cidade.
- Está falando de que? De Joe ou dos meus pais?
- Dos dois.
- De Joe, eu superei faz tempo. Não acho que devemos falar nele, sempre. E os meus pais? Bem, eu também já superei e também não quero falar neles. Foi nessa cidade que nasci, conheci pessoas maravilhosas, aqui que minha vida foi iniciada. As coisas que aconteceram aqui poderiam acontecer em qualquer lugar do mundo.
- Essa Demi, está diferente da Demi que foi embora daqui fugida com o marido.
- Essa Demi, é única.
- Eu sei... – ele disse simplesmente.
Depois disso, passearam por toda a cidade.
Até que...
- Essa é a casa dos meus... Dos Lovato? Essa era minha antiga casa, quer dizer, era aqui que ficava pelo menos. O que houve?
- Quer saber? Todas as vezes que eu tentava falar neles você dizia que não queria saber.
- Não, mas... Agora, eu quero saber.
- Bom, eles venderam a casa para a prefeitura. Ou melhor, perderam a casa para a prefeitura. Eles não pagaram alguma documentação que era preciso e a prefeitura tomou a casa.
- Onde eles estão?
- Morando de aluguel há umas quadras daqui. Não é uma casa enorme, mas é o que eles podem pagar.
- Como assim, Dougie? Meus pais são ricos.
- Não, Demi... Eles foram ricos.
- Dougie, quer me explicar que diabo aconteceu aqui depois que eu fui?
- Bom, seus pais foram à falência. Foi isso que aconteceu... Seu pai, queria ganhar mais e pensando nisso, começou a fazer material com pouca qualidade. Então, as pessoas pararam de comprar os produtos, pois não tinha qualidade e eles só foram gastando. Seu pai vendeu a loja e a fábrica e, com a idade e a fama que tinha não conseguiu emprego, mas continuou gastando o dinheiro. Sua mãe também não conseguia nenhum emprego, então estavam falidos. A prefeitura para quitar a dívida dos empréstimos, pegou a casa. Algum tempo depois, sua mãe começou a arrumar o cabelo do pessoal por um bom preço e todas adoravam e assim, eles conseguiram alugar uma casa.
- Sério?
- Sim. E quando você mandou o dinheiro que você tinha pegado, e que eles nem sabiam, sua mãe comprou um salão de beleza. Se especializar em cabelos e agora tem um salão.
- Pode... me levar nesse salão?
- Tem certeza que quer ir lá?
- Tenho, mas eu não quero que... Ela me veja e nem que ninguém saiba que eu quero vê-la. – enquanto Dougie dirigia Demi pensava em tudo que ele disse. – E meu pai?
- Depois que sua mãe comprou o salão, ele passou a consertar coisas. Ele é uma espécie de “marido de aluguel” é assim que todos o chamam.
- Nunca imaginei que meus pais poderiam chegar à esse ponto.
- Eu sei que é difícil para você tentar imaginar, mas foi assim que aconteceu.

Algum tempo no carro, uns vinte minutos, e chegaram no salão. Dougie parou em frente ao salão, mas do outro lado da rua. Demi colocou os óculos de sol, para esconder um pouco o rosto. Já estava longe a quase dez anos será que a mãe a reconheceria.
Logo, Demi viu sua mãe, agora com os cabelos mais curtos, o cabelo que ela tanto adorava, mais velha e mais feliz. “Talvez a falta de dinheiro trouxesse felicidade” Demi pensou. Ou sem ela estavam mais felizes.
- Não quer entrar e falar com ela?
- Não. Eu prefiro ver de longe. Eles acham que tem uma filha morta, bom, para que vou aparecer. Não sou nenhum fantasma.
Demi ficou um tempo observando, Dougie ficou em silencio. Ele queria poder dizer que os pais estavam com saudades e arrependidos do que fizeram, mas ia fazer melhor que isso.
O pai de Demi apareceu, ela quase não o reconheceu. Ele estava mais gordo do que ela se lembrava, ou melhor, mais barrigudo. Ele estava mais feliz do que ela se lembrava, estava mais velho do que ela se lembrava.
- Estão tão diferentes.
- Assim como você.
- É verdade. – Demi respirou fundo e disse. – Sinto falta deles. Há muito tempo sinto saudades, mas o meu orgulho é maior que a saudade. – Demi confessou para seu namorado, que era mais um amigo.



CONTINUA....

4 comentários:

Oie, amores!
Espero que tenham gostado de " Amor Autêntico ". Escrevi com muito carinho e gostaria que registrassem o que acharam.
Posso contar com isso?
Amos vocês <3